Pular para o conteúdo principal

A importância da psicoterapia




A psicoterapia é um valioso recurso para lidar com as dificuldades da existência em todas as formas que o sofrimento humano pode assumir: manifestações sintomáticas (pânico, ansiedade, depressão, fobias, anorexia, etc.), crises pessoais, crises de relacionamentos, conflitos conjugais e familiares, distúrbios psicossomáticos, dificuldades nas transições da vida, crises profissionais, etc.

A psicoterapia é também um espaço favorável ao crescimento pessoal, um lugar/tempo/modo privilegiado de criar intimidade consigo mesmo, de estabelecer diálogos construtivos, questionar, abrir novos canais de comunicação, de transformar padrões de funcionamento estereotipados, restabelecendo o processo formativo e criativo de cada um.

A Psicoterapia oferece uma oportunidade de compreender os próprios modos de vinculação e relação interpessoal. Este processo acontece dentro de uma relação saudável com um profissional qualificado.

A EVOLUÇÃO

A psicoterapia ocupa hoje um lugar fundamental na área da saúde, por trazer uma visão integrada do homem, considerando as dimensões orgânicas, psíquicas e sociais que conjuntamente participam na produção da existência humana e de seus problemas.

Em alguns casos, a Psicoterapia cumpre também uma função de educação para a vida. Esta é uma área pouco considerada em nossa cultura, porém evidente quando as pessoas se vêem inaptas para lidar com situações como crises conjugais, desemprego, envelhecimento, etc.

A psicoterapia é um espaço especial de atenção às dificuldades da vida e aos caminhos internos para solucioná-los. Seus resultados demonstram uma grande potência de transformação de vidas.

Todos os últimos avanços na área da Psicologia e Psicoterapia têm permitido alcançar resultados cada vez maiores e mais significativos.

Apesar de poder parecer, à primeira vista, um tratamento oneroso, a psicoterapia tem se mostrado, na realidade, um modo econômico de tratamento. Pesquisas indicam que a aplicação efetiva da psicoterapia diminui os índices de consumo de medicamentos e de internações hospitalares, por exemplo. (1) Além de todos os benefícios que traz para a saúde psicológica da pessoa, melhora da qualidade de vida, aquisição de autonomia, e uma nova orientação em relação à vida, a psicoterapia tem se mostrado um tratamento economicamente compensador, por prevenir e tratar problemas psicológicos que, quando não tratados adequadamente, trazem enormes prejuízos econômicos para as pessoas e para o país.

OS PRAZOS

No geral, os prazos de tratamento são relativos aos objetivos almejados. Há vários desenvolvimetos recentes em psicoterapias breves, que são focadas em objetivos mais específicos.

Atualmente é possível atingir resultados significativos em períodos de 3 meses a 12 meses e há muitos processos terapêuticos profundos que se encerram satisfatoriamente em prazos inferiores a 3 anos. Muitas pessoas já obtém resultados significativos nas primeiras semanas de tratamento, compensando os investimentos realizados.

Algumas pessoas encontram na terapia um lugar fundamental de acompanhamento de seu processo formativo de vida, onde são trabalhados transformações mais profundas na estrutura de vida ao longo de vários anos. São situações em que o processo terapêutico não tem um prazo definido, por não ter um objetivo pré-determinado e sendo sempre em comum acordo entre o terapeuta e o cliente.

ALGUMAS APLICAÇÕES

Várias estados de sofrimento, crises, transtornos e doenças tem encontrado uma solução e melhora apenas com o auxílio da psicoterapia.

Não é possível hoje se falar na maior parte das doenças sem uma consideração pela dimensão psicológica e emocional. Cada vez está mais evidente a natureza psicossomática de todas as experiências humanas. A saúde psicológica é pré-condição da saúde global.

Cada ser psicossomático vive uma história de interações, encontros e acontecimentos em que as doenças (orgânicas ou mentais) são resultado dos desequilíbrios existenciais e de soluções inadequadas de vida.

A psicoterapia é um processo que permite transformações profundas da personalidade, com resultados evidentes em diversas situações como:

tratamento de vários transtornos como pânico, fobias, depressão, anorexia, bulimia, frigidez, ejaculação precoce, etc.
resolução de conflitos pessoais, interpessoais, conjugais, familiares, profissionais etc.
crises existenciais, transições difíceis (luto, crises profissionais, etc) e mudanças de fases de vida (puberdade, adolescência, vida adulta, menopausa, envelhecimento, etc.) aprendizado do auto-gerenciamento, da capacidade lidar com o estresse, dialogando com os estados afetivos internos e os efeitos dos desafios e problemas da vida; descoberta de novos modos de conduzir a própria vida, aquisição de auto-conhecimento e amadurecimento pessoal.
ajuda na recuperação de todos os tipos de doenças.

OS TIPOS DE TERAPIA

Há alguns tipos de psicoterapia, conforme as necessidades e a configuração dos problemas.

Os principais tipos são:

Psicoterapia Individual para crianças, adolescentes, adultos e idosos.
Psicoterapia de Grupo
Psicoterapia de Casal
Psicoterapia de Família
e Dependentes


O PROCESSO TERAPÊUTICO

O processo terapêutico é como atravessar um túnel. Neste túnel você vai rever muitas cenas da historia da sua vida de um ângulo completamente novo, fazendo conexões inusitadas entre os eventos e percebendo a potência do passado para moldar quem você é hoje.

Na travessia deste túnel você vai aprender a reconhecer os seus padrões de comportamento - os modos que fazem com que você se comporte de modo parecido em situações diferentes. Você vai aprender a reconhecer o "como" do seu comportamento, como você age, como se relaciona, como pensa, sente, etc e vai aprender quais os caminhos para poder influenciar e transformar estes modos.

Esta é uma travessia acompanhada, acompanhada de alguém que pode ajudar você a se compreender. Alguém que pode te ajudar a transformar o seu jeito de ser, a mudar os seus padrões, a se conhecer profundamente.

Esta travessia pode mudar completamente a sua vida.

O VÍNCULO

Nestes anos, tenho observado que o eixo, a base de uma boa terapia está na relação terapêutica. A boa terapia se desenrola num enquadre clínico com um clima terapêutico favorável.

Aí está um dos segredos desta arte. Criar um ambiente que permita a revelação dos mundos internos e favoreça o desenvolvimento do processo singular de cada um. Neste clima é possível que o ser mais oculto e amedrontado se mostre, seja ouvido, se transforme, que o processo formativo possa prosseguir formando vida.

POR QUE A PSICOTERAPIA FUNCIONA ?

A psicoterapia, ou Psicologia Clínica, funciona, isto é fato. Mas para responder a pergunta acima, existem centenas de livros e pesquisas - necessários pela enorme riqueza e complexidade do tema.

Mesmo assim, como simples exercício de compreensão, vamos listar alguns motivos para a efetividade da psicoterapia, dos mais simples aos mais complexos.

No início da lista, como num continuum, temos aqueles motivos que são comuns a outras relações de ajuda, mesmo não profissionais, como uma conversa íntima com um amigo, uma conversa sobre um problema pessoal com um professor, um médico, etc. Avançando na lista vamos chegando aos motivos que são mais comuns na psicoterapia, até aqueles que são exclusivos da psicoterapia, que são possíveis pelo cuidadoso treinamento teórico e técnico adquirido pelo psicólogo em sua trajetória de formação profissional. Eis o continuum com alguns motivos pelos quais uma psicoterapia funciona:

1 - Ao dividir um problema você passa a ter meio problema. Compartilhar ajuda a aliviar a carga emocional e o sofrimento

2 - Os vínculos de ajuda têm um poder curativo. É mais fácil superar muitas dores através de uma relação autêntica, de respeito mútuo do que sozinho. A relação terapêutica é uma relação de ajuda, de compreensão e apoio.

3 - A psicoterapia faz você parar para refletir sobre a própria vida. Parar, observar e refletir permitem muitas mudanças de orientação, sentido, rumo e aprofundamento da experiência de vida.

4 - O psicólogo clínico (psicoterapeuta) é um outro, com o olhar e a perspectiva de um outro, o que lhe ajudará ver a sua vida de um modo diferente, lhe fazer perguntas diferentes, ajudá-lo a perceber as coisas de um ângulo que você não tinha visto antes e nem suspeitava ser possível.

5 - A partir de sua experiência profissional e de seus conhecimentos teóricos, o psicólogo te ensina o que olhar, como olhar e o que fazer com o que vocês descobrem, para que estas descobertas possam ser construtivas em sua vida.

6 - O psicoterapeuta conhece métodos de investigação que tornam possível descobrir aspectos da sua personalidade que seriam inacessíveis a uma observação não treinada, a uma simples conversa, por exemplo.

7 - O psicoterapeuta conhece teorias psicológicas que ajudam na compreensão do que ocorre com você, auxiliam a identificar o que pode estar errado em sua vida, a direção que você está seguindo e as mudanças de rumo necessárias.

8 - O psicoterapeuta domina técnicas terapêuticas que permitem realizar mudanças profundas na existência.

9 - O psicoterapeuta está preparado para compreender você a partir do vínculo que você estabelece com ele, das respostas emocionais que você suscita nele. Em seu treinamento ele afinou a si mesmo como instrumento de trabalho para reconhecer pequenas nuances do que você mostra na relação com ele (e com os outros) e assim poder compreender seus modos de vinculação e suas dificuldades em relacionamentos.

10 - O psicoterapeuta passou por todos estes passos anteriores, tendo estado em todos os papéis, como cliente, como profissional e como observador, o que o habilita a "sentir-se em casa" em situações difíceis e poder caminhar por terrenos inóspitos, cheios de sofrimento e problemas emocionais e saber encontrar um caminho de melhora para o seu cliente.

Certamente esta lista pode ser extendida, mas pretendemos apenas dar uma ideia ao público leigo do trabalho da Psicologia Clínica numa linguagem diferente daquela do universo teórico, técnico e científico da Psicologia.




1- Gabbard, G O; Lazar, S G; Hornberger J; Spiegel D. (1997). Economic Impact of Psychotherapy: A Review. The American Journal of Psychiatry, vol 154:2 p147-155; Gabbard, A. (2001) Empirical Evidence and Psychotherapy: A Growing Scientific Base. The American Journal of Psychiatry, Volume 158(1), 1-3)

2 - Hanns, L A (2004) Regulamentação em Debate. Psicologia: Ciência e Profissão - Diálogos, ano 1, vol 1, p 6-13 

Postado por Espaco Self